Tuesday, June 24, 2008

A Arte de Ilustrar - NOVO VISUAL

Esta versão do blog A ARTE DE ILUSTRAR PARA A INFÂNCIA está quase a ser encerrado.



Uma nova versão estará pronta e disponivel muito brevemente.



Os mais curiosos podem ir espreitar o seu novo visual clicando na imagem abaixo.




Monday, June 23, 2008

Brian Cronin na Casa da Cerca



Brian Cronin


Retrospectiva 1983-2008 e Cor


Exposição de Ilustração




A Casa da Cerca inaugurou duas exposições em colaboração com o Ar.Co no âmbito das comemorações do seu 15.º aniversário e dos 35 anos do Ar.Co.

Brian Cronin - Retrospectiva 1983 a 2008 mostra trabalhos do ilustrador Brian Cronin que apresenta cerca de 150 trabalhos originais realizados nos últimos 225 anos da sua carreira enquanto ilustrador de imprensa. A obra de Brian Cronin foi publicada em revistas e jornais de referência tais como a Rolling Stone Magazine e The New York Times. O autor realizou também ilustrações para livros publicados por editoras como a Peguim Books e Hamish and Hamilton.

Acompanhando esta mostra, estará patente uma exposição de 15 ilustradores portugueses subordinada ao tema Cor. As ilustrações apresentadas foram produzidas em serigrafia pelo Centro Português de Serigrafia. Ilustradores participantes: André Letria, Alex Gozblau, André Carrilho, Bernardo Carvalho, Daniel Lima, Filipe Abranches, João Fazenda, Miguel Rocha, Maria João Worm, Nuno Saraiva, José Manuel Saraiva, Pedro Burgos, Tiago Albuquerque, Tiago Manuel e Susa Monteiro.



Organização
Casa da Cerca - Centro de Arte ContemporâneaCâmara Municipal de Almada


Observações
Câmara Municipal de Almada
Casa da Cerca - Centro de Arte Contemporânea
Rua da Cerca 2, Almada

Tel.: 21 272 49 50 / 51




Thursday, June 12, 2008

10 anos da BD Galega


10 anos da BD Galega
Bedeteca de Lisboa
Até 20 de Junho


Até 20 de Junho, na Bedeteca de Lisboa, está patente a exposição "10 anos da BD Galega", que mostra como nos últimos 10 anos o contexto relativo à bd galega alterou-se significativamente: às Xornadas de Ourense e ao Salón de Cangas, juntou-se o Viñetas desde o Atlántico (desde 1998), que tem levado à Galiza nomes importantes da banda desenhada internacional, colocando a região na rota dos grandes festivais.
O surgimento, no início do milénio, de colectivos independentes como o Polaqia ou o BD Banda, permitiu que muitos dos autores mais jovens dessem visibilidade ao seu trabalho, conquistando leitores e público.
A exposição agora patente, resultado do apoio inequívoco que a Xunta de Galicia presta aos artistas da região, apresenta trabalhos de 42 autores de várias gerações – desde Xaquín Marín (1943) a Diego Blanco (1981) –, e mostra a riqueza e diversidade da banda desenhada galega, reunindo vários estilos e tendências numa prova de enorme vitalidade.
A mostra é organizada pelo Festival "Viñetas desde o Atlántico", Asociación Galega de Professionais da Ilustración e as Xornadas de BD de Ourense, com o apoio da Xunta da Galicia, e esteve patente na quarta edição do Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja durante o mês de Maio.
Durante o período da sua permanência no Palácio do Contador-mor, nos Olivais, a equipa da Bedeteca organiza visitas guiadas e ateliês de BD, destinados a grupos escolares (crianças a partir dos 8 anos) e ao público em geral.
A participação é gratuita e está prevista, sob marcação, à Sexta-Feira: 10h30 ou 14h30.

Mr. Fields para ver


"Retratos imaginários de Mr. Fields"
14 de Junho até 10 de Julho


Na Work&Shop, dia 14 (Sábado) inaugura a exposição de desenho de Mr. Fields: "Retratos imaginários de Mr. Fields" e que estará patente até dia 10 de Julho.

Da nota de imprensa:
«Desiludido com o mundo dos homens e com alguns animais, empreendeu longas jornadas por terras asiáticas em busca de si próprio. Nunca se encontrou. Numa feliz revelação descobriu que, afinal, tinha dupla personalidade. Fez terapia. Hoje, ambas as personalidades convivem em harmonia. Uma delas encontra a paz e a realização pessoal num coro de igreja. A outra dedica-se a registar a tinta-da-china, no papel, as distintas aventuras e viagens, bem como as excêntricas personagens, que se foram sucedendo nas suas vidas...»

Rui Sousa - Exposição de ilustração na galeria Serv´artes


"Comportamentos Humanos"
Folha de Sala


As obras de Rui Sousa aqui patentes pertencem à série "Comportamentos Humanos", a mais recente produção do autor. Estes seres polimorfos surpreendem-nos, seduzem-nos, divertem-nos até. Mas se observadas longamente, estas criaturas ganham contornos inquietantes; é mesmo um corpo humano o com estes enxertos animais. Estes desenhos transportam consigo uma dimensão sombria e mesmo absurda; O lúdico e o insólito coabitam com o perigo de modo ameaçador. Mais inquietante ainda, são comportamentos humanos aqueles que podemos observar nestes trabalhos e que inspiram o título desta série de desenhos. Cresce a nossa perturbação, entram em cena questões de identidade e revelam-se as pulsões animais, irracionais (inerentes ao indivíduo) que a sociedade contemporânea tão afincadamente reprime e oculta. É o corpo a armar-se, evoluindo para se proteger, atacando se necessário, invocando o animal que até então repousava no seu âmago. E porquê a insistência no fato, referente com forte carga simbólica de poder, estilo mas também austeridade e cinzentismo? O ataque não é somente dirigido às ameaças exteriores, é um processo autofágico, o animal selvagem devora o hóspede humano, frio e calculista, que perdeu o coração na sua busca de poder. Estes trabalhos materializam através do desenho a ameaça surda que paira sobre os nossos excessos. Rui Sousa não esconde o seu fascínio pelos trabalhos da Paula Rego que têm por catalisador a "Metamorfose" de Kafka. O profundo mal estar que ressentimos quando observamos o Gregor retorcendo-se como um insecto, ecoa nos "Comportamentos Humanos" quando assistimos ao devir selvagem do que já foi só humano, numa mutação que visa a superação dos obstáculos, independentemente da sua natureza.


Frederic Figueiredo



Mais informações:
galeria Serv´artes
Rua da Constituição 2105 R/C
4250-170 Porto
Rui Sousa

Friday, June 06, 2008

1001 Noites no Museu da Água



Até 28 de Junho
Museu da Água

Para quem não teve oportunidade de ver no AMAC - Barreiro, tem agora a possibilidade de visitar esta fabulosa exposição de ilustrações originais de 40 autores iranianos em Lisboa, no Museu da água.

Quem não se lembra da história do Sultão Shahryar, rei da Pérsia e da sua noiva Scherazade? Shahryar, depois de ser traído pela mulher passou a mandar executar as donzelas com quem casava, na manhã do dia seguinte ao casamento. Scherazade, uma dessas donzelas, na noite do casamento, começou a contar ao sultão uma história maravilhosa, mas não a acabou. O sultão viu-se então forçado a poupar-lhe a vida para ouvir o final da história. Na noite seguinte, Scherazade acabou a história, mas começou uma nova, que de novo, não concluiu. E isto repetiu-se durante 1001 noites!

O nome desta história extraordinária, que no fundo nos fala do poder encantatório dos contos, não poderia ser mais apropriado para título de uma exposição colectiva de 40 ilustradores de livros infantis do Irão, a antiga Pérsia.

Ao ler estas 120 ilustrações, os visitantes poderão tomar contacto com a cultura deste país imenso, com as suas tradições literárias e artísticas, e com a forma como as transportam para o presente.

Enraizada na rica herança cultural do país da 1001 noites, a nova ilustração iraniana alia o exotismo e por vezes a exuberância gráfica e cromática características destas latitudes, a expressões de grande contemporaneidade.
Tal como Sherazade encantou o Sultão Shahryar com as suas 1001 histórias esperamos que se deixem encantar pela magia destas imagens.



Exposição comissarida por Ju Godinho e Eduardo Filipe, organizada pela Câmara Municipal do Barreiro e pela Associação Ver Pra Ler e inserida no Projecto IlustrARTE.


Mais informações:
Tel.: 218100215
Lisboa, Museu da Água
Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos
R. Alviela, 12

Horário:
Segunda a sábado das 10h00 às 18h00
Preço: 2,5€ (c/descontos)


åbroïderij! HA! - International Graphic Arts Exhibition


Até 15 de Setembro
Bedeteca de Lisboa


Exposição åbroïderij! HA! - International Graphic Arts Exhibition, com a participação de cerca de 4 dezenas de artistas gráficosnacionais e internacionais.

Um projecto arrojado comissariado em registo de cadáver esquisito.

Com André Lemos, João Rubim, José Feitor, Jucifer, Ilan Manouach (gr), Guillaume Soulatges (fr), Fabio Zimbres (br), Bruno Borges, Joanna Latka, Nuno Neves, Richard Câmara, Miguel Carneiro, Cátia Serrão, Luís Henriques, Rosa Baptista, Daniel Lima, José Cardoso, Rui Vitorino Santos, Júlio Dolbeth, Joana Rosa Bragança, Lucas Almeida, Pedro Zamith, João Maio Pinto, Teresa Amaral, Pedro Lourenço, Bráulio Amado, Christina Casnellie, Lucas Barbosa, Sérgio Vieira, Artur Varela, Ana Menezes, João Fazenda, Rafael Gouveia, Stevz (br), Christopher Webster (uk), Filipe Abranches, Silas, dice industries (ale), Kolbeinn Karlsson (sue), Gianluca Costantini (it), Pauliina Mäkelä (fi), Maria Pia Cinque (it), Andrea Bruno (it) e Amanda Vähämäki (fi), Igor Hofbauer (cro) Kai Pfeiffer (ale) e Ulli Lust (ale).



Mais informações:
Bedeteca de Lisboa
Palácio do Contador-Mor
Rua Cidade de Lobito, Olivais Sul
Telefone: 21 853 66 76
Fax: 21 853 21 68
Horário:
2ª/6ª: 10h-19h
Transportes:
Carris: 10, 21
Metro: Olivais (Linha Vermelha)

Exposição de Evelina Oliveira na Baixa da Banheira


"As Imagens das Palavras e as Palavras das Imagens"
Galeria de Exposições do Fórum Cultural José Manuel Figueiredo
Baixa da Banheira


1 a 29 de Junho


A parte mais significativa desta mostra consta de um conjunto de caixas de tintas que a pintora reciclou, pintando a sua parte exterior com personagens de mundos fantásticos a descobrir, seguindo ou não as pistas que a própria lança, através de pequenas frases.
«"Histórias aos quadradinhos" é um projecto composto por cem caixas de cartão utilizadas para acomodar tubos de tinta e que foram a posteriori preparadas como suporte para pinturas a acrílico. (...)

Neste projecto, cada caixa representa uma personagem ou uma cena de uma história por inventar. Estes enredos são sugeridos pelas frases ou "títulos" de forma a interrogarem ou estimularem o imaginário de quem as observa e deste mdo multiplicarem-se as leituras de uma só imagem não tendo necessariamente de haver uma ligação ou ordem entre elas.»Evelina Oliveira, do catálogo Histórias aos quadradinhos.
O efeito visual das caixas, com tamanhos diversos, ao longo da parede, confere profundidade às pinturas e sugere uma reciclagem do imaginário tradicional, em que princesas, natureza e símbolos se cruzam entre o proibido e o desejado, a felicidade e a infelicidade, o amor e a solidão. Os olhos imensos das meninas evidenciam o traço da pintora: uma misteriosa melancolia que extravasa de cada 'tela'.


Mais informações:
FÓRUM CULTURAL JOSÉ MANUEL FIGUEIREDO
Rua José Vicente, Baixa da Banheira
Tel. 210888900

Horário:
3ª Feira a Sábado
10.00h às 12.30h e das 14.00h às 18.30h
4ª Feira – prolongamento até às 20.30h

UMA BIBLIOTECA IMAGINÁRIA


Até 31 de Julho


Exposição colectiva de ilustradores portugueses e estrangeiros
AMAC - Barreiro



A maioria dos autores, ilustradores, editores e outras “pessoas dos livros” têm o seu livro-de-sonho imaginário.

Inspirada por esta ideia, Barbara Scharioth, directora durante 15 anos da Biblioteca Infantil Internacional de Munique, desafiou 72 ilustradores de 30 países a criar a capa de um livro, real ou inventado, que gostariam de ilustrar.

Entre os participantes contam-se alguns dos melhores ilustradores mundiais como Klaus Ensikat, Ivan Gantschev, Dusan Kallay, Kveta Pacovská, John Rowe, Binette Schroeder e os portugueses André Letria, Teresa Lima, Gémeo Luís, Rui Martins e João Vaz de Carvalho. Todos participaram com entusiasmo neste projecto de excelência.

Esta exposição de livros “inexistentes” é um convite aos visitantes para que usem a sua imaginação. Ao explorar esta imensidão de imagens, poderão reconhecer o estilo característico de alguns artistas e quem sabe, lembrar-se de alguns dos seus livros “existentes”.


Informações:

Auditório Municipal Augusto Cabrita
Av. Escola dos Fuzileiros Navais - Parque da Cidade - Barreiro
Tel: 212141319
Fax: 212147401
E-mail:
ilustrarte@ilustrarte.net

Aceitam-se marcações para grupos ou escolas
Entrada gratuita

Andam Lobos à Solta no Barreiro!



Até 31 de Julho
Ilustrações de João Fazenda
AMAC - Barreiro



Em 20 poderosas imagens, João Fazenda dá vida ao clássico de Sergei Prokofiev, agora numa versão original e criativa de João Paulo Cotrim.

Simultaneamente, inaugurou uma exposição de trabalhos dos alunos da Escola Básica I nº4 do Barreiro, realizados ao longo do presente ano lectivo, no âmbito do projecto de escola que este ano se centrou no tema Histórias com Lobos!

Da pré-escolar ao 4º ano, cerca de 150 meninos, orientados por 7 professoras entusiastas dos contos e dos livros ilustrados, foram trabalhando sucessivamente as histórias do Capuchinho Vermelho, O lobo e os 7 cabritinhos e Pedro e o Lobo.

Entre outros trabalhos, os alunos recriaram plasticamente as páginas do famoso livro de Warja Lavater, O Capuchinho Vermelho, que conta a história sem palavras e usando apenas círculos de várias cores. Finalmente, orientados pelo ilustrador João Fazenda, cada aluno pintou uma pequena tela com a imagem de um lobo.




Informações:
Auditório Municipal Augusto Cabrita
Av. Escola dos Fuzileiros Navais - Parque da Cidade - Barreiro
Tel: 212141319
Fax: 212147401


Aceitam-se marcações para grupos ou escolas
Entrada gratuita